quarta-feira, 29 de abril de 2009

Amplificadores de Potência de RF

Transmissores de rádio necessitam gerar sinais de radiofrequência com a potencia necessária para a criação de uma onda eletromagnética de intensidade suficiente para superar a ruído elétrico do receptor e as interferências causadas por outros sinais. Para conseguir esse objetivo, os transmissores devem dispor de amplificadores de potencia adequados ao tipo de modulação a que se destinam.
A Figura 01 mostra o diagrama completo de um amplificador de potencia de RF. Este tipo de circuito e muito utilizado nos transmissores de AM e FM.

Figura 01

Suas características são as seguintes:

- polarização em classe B;
- configuração em emissor-comum;
- operação não-linear;
- alta eficiência, dependendo das características do transistor;
- largura de faixa dependente das redes casadoras de impedâncias.

Como se pode observar pela analise da Figura 01, um amplificador de potencia de RF e composto por diversos os circuitos:

Casadores de impedâncias: possuem a finalidade de casar a impedância de um gerador de RF com a base do transistor amplificador ou, no caso de saída, casar a impedância do coletor do transistor com a carga. Isto acontece porque as impedâncias de base e de coletor são quase sempre menores que 50 ohms, que e o valor de impedância padronizada para as linhas de transmissão normalmente empregadas para a transferência de sinais de RF entre os estágios de um equipamento de radio ou entre um equipamento de radio e uma antena.

Compensador de base: é utilizado para cancelar a parte reativa da impedância de entrada do transistor amplificador, que é capacitiva nas freqüências inferiores a 100 MHz, e indutiva acima desta frequência (o valor exato desta frequência depende do transistor utilizado). Nas frequências em que o transistor exibe uma reatância de entrada capacitiva, utiliza-se uma indutância em paralelo com a base. Caso contrario, quando a reatância de entrada for indutiva, utiliza-se uma capacitância em paralelo com a base para fazer a compensação. Em ambos os casos, o valor do componente utilizado na compensação devera ser adequado para o cancelamento completo da parte imaginária (reativa da impedância).

Supressor de harmônicos de base: utilizado em frequências superiores a 50 MHz, aproximadamente, cria um caminho para a massa de baixa impedância para os harmônicos gerados pela falta de linearidade da junção base-emissor. Em frequências inferiores a um terço da freqüência na qual a reatância de base se toma indutiva (abaixo de 40 MHz), a capacitância de difusão da base e suficiente para permitir a condução dos harmônicos. Neste caso, pode-se dispensar o uso dos supressores de harmônicos, que são capacitores conectados em paralelo com os terminais de base e emissor do transistor.

Supressor de baixa frequência: ter a finalidade de reduzir a amplificação em baixa frequência, impedindo a ocorrência de oscilações parasitas causadas pelo aumento do ganho de potencia do transistor. Para tomar mais eficiente a ação do supressor de baixa frequência, é introduzido amortecimento pela inclusão de uma resistência no circuito.

Supressor de harmônicos de coletor: tem a finalidade de impedir a circulação de correntes harmônicas geradas pela operação não-linear. Este procedimento visa o aumento da eficiência do amplificador, uma vez que pelo supressor, que nada mais é que um filtro LC-série, circula apenas a corrente correspondente ao sinal fundamental.

Choque de coletor: é utilizado para alimentar com corrente contínua o coletor do transistor amplificador, ao mesmo tempo que restringe a circulação da corrente de RF. Sua reatância deve ser a mais baixa possível, a fim de evitar o aumento do ganho em baixa frequência. Por isso, seu valor deve estar compreendido entre 3 e 7 vezes o valor da parte real da impedância de carga de coletor (equivalente paralelo). Às vezes, o choque de coletor é projetado para ressonar, junto com a capacitância de saída de coletor, na frequência do sinal transmitido.

Supressor de RF da linha de alimentação: é utilizado para complementar o trabalho do choque de coletor e eliminar a corrente da RF da linha de alimentação. E, normalmente, um filtro passa-baixa CLC, também conhecido como circuito PI.

Fonte:
Telecomunicações
Juarez do Nascimento
Makron Books

terça-feira, 28 de abril de 2009

Da enxada ao céu

No dia 15 de janeiro de 1929, o astrônomo americano Vesto Slipher, diretor do Observatório Lowell, em Flagstaff, Estados Unidos, foi à estação da cidade receber um jovem que gostava de observar as estrelas. Nome: Clyde Tombaugh. Aos 22 anos, filho de agricultores pobres, ele não tinha esperança de um dia chegar à universidade. Mas era obstinado. Entrou em contato com Slipher para pedir emprego no observatório, dizendo que estava disposto a fazer qualquer coisa para aprender com os profissionais. Admirado, o diretor aceitou a proposta. Encarregou o jovem esforçado das tarefas mais simples, como cuidar do aquecimento, tirar neve da cúpula que protege os telescópios ou acompanhar visitantes do observatório.
Feito isso, podia usar os instrumentos para adquirir o treinamento básico. Um ano e um mês depois de chegar a Flagstaff, Tombaugh descobriu Plutão, que viria a ser na época o nono planeta do sistema solar, transformando-se numa celebridade mundial.

Fonte: Revista Superinteressante

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica

Excelente livro para o estudante de astronomia e indispensável para a biblioteca do astrônomo amador e profissional.

Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica - Ronaldo Rogério de Freitas Mourão

Download

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Som e acessórios para carro

Trabalhei como instalador de som e acessórios durante 11 anos e como todo instalador reuni durante esse período diversos esquemas de ligação de módulos, alarmes, manuais de instalação de vidros e travas elétricas entre outros.
Portanto resolvi escanear para disponibilizar para outros instaladores e interessados esses esquemas juntamente com algumas teorias a respeito de instalação de som que tirei de revistas especializadas, os esquemas que disponibilizo são de equipamentos que provavelmente já estão fora de linha mas, como todo instalador sabe é sempre bom tê-los porque um dia podemos precisar e o melhor, já estão digitalizados. Tenho mais manuais de alarmes que obtive no curso da Positron para escanear, assim que concluído disponibilizarei esses também. Aqui está a pasta com os esquemas, qualquer problema ou dúvida com os arquivos deixe um comentário para que eu possa arrumar, os arquivos estão em PDF sem proteção para que - se preferir - possam ser editados como desejar. Se alguém tiver alguma dúvida sobre instalação deixem nos comentários que ajudarei na medida do possível.