domingo, 1 de dezembro de 2019

Endereço do blog

Quero avisar a todos os leitores do blog que a partir do dia 10 de dezembro o endereço do blog irá voltar como era antes, com o "blogspot".

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Problema de espaço no armazenamento dos arquivos do blog

Estou com problema de espaço nas minhas contas do Mediafire, por isso venho pedir ajuda dos leitores para contratar uma conta premium para ter mais espaço para armazenar arquivos.

Gostaria de saber se tem algum leitor que está disposto a ajudar financeiramente o blog com essa conta premium, a monetização do blog não deu o retorno esperado, a intenção era ajudar justamente nessa questão de armazenamento e no custo do domínio.

Com essa conta eu teria algumas opções que muitos leitores vão gostar como download da pasta inteira, links diretos e sem captcha e 1Tb de espaço que vai me possibilitar colocar todas as revistas estrangeiras(menos as elektor) aqui no blog, a maior parte dos links das revistas estrangeiras são de outros sites e/ou estão quebrados, com esse espaço vou poder colocar todas no Mediafire e ainda vai sobrar muito espaço para as novidades.

Quem quiser contribuir deixe um comentário ou entre em contato pelo e-mail abaixo, quanto mais pessoas ajudar, menor será o custo individual.

luiz.picco@gmail.com

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Problemas no download, contribuições e outros

Depois de receber alguns comentários a respeito e ainda não ter respondido cada comentário eu decidi fazer esse post para esclarecer essas coisas.

Em relação ao problema de download que alguns leitores relataram, esse problema é um problema do Mediafire, como eu estou sem espaço nas contas, esses problemas começam a aparecer, não tenho o que fazer, quem for baixar alguma revista e tiver esse problema terá que tentar baixar outra hora até conseguir.

Também é muito importante que vocês limpem os arquivos temporários do seu navegador pois quando acumula muita coisa, o sistema começa a dar erros. Eu aconselho a selecionar a opção de excluir arquivos temporários quando fechar o navegador pois isso também tem a ver com privacidade.

Quanto as contribuições, por questões de segurança eu não estou recebendo revistas pelos correios, só recebo doações de revistas em mãos.
Quem tiver as revistas em pdf pode me enviar por e-mail(o endereço está no blog) ou se o arquivo for muito grande pode usar o Mediafire, 4shared, Dropbox ou o Driver do google para me enviar os arquivos.

Também estou tendo problemas na monetização do blog, por isso é provável que a partir do próximo ano o endereço do blog volte como era antigamente, se algum leitor tiver experiência nesse assunto e puder me ajudar na questão da monetização eu agradeço.

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Diferença no acoplamento térmico entre a mica e silglass


Desde que eu comecei a ver nas sucatas essas borrachas cinza (Silglass) sendo usada no lugar da mica eu pensei em fazer um experimento prático para fazer as comparações para saber se a diferença é grande ou não no acoplamento térmico.
Eu achei alguma informação sobre o silglass nesse site e sobre a mica nesse site, para quem quer saber mais a fundo sobre as informações técnicas desses dois isolantes terá que fazer uma pesquisa mais profunda, o meu interesse era só para saber a composição do silglass que eu ainda não conhecia.

Bom, agora vamos ao experimento. Eu usei dois reguladores de tensão do tipo 7809 do mesmo fabricante, fixados no mesmo dissipador (assim a dissipação será igual nos dois componentes, mas também poderia usar dissipadores individuais desde que sejam idênticos), sendo que um deles usando mica e pasta térmica e o outro regulador usando silglass, a imagem dessa montagem pode ser vista na figura 1.

fig. 1


O tipo de fio usado na ligação é o mesmo para todos os terminais, sendo que os terminais da entrada e negativo estão soldados junto, somente a saída que foi separada para ligar a carga individualmente. Os valores das tensões de saída tinham uma diferença de 0,1V, mas isso não afeta o experimento porque a corrente nos reguladores foram controladas e praticamente idênticas, como a carga não é estável, o ajuste de corrente de carga ficou entre 1,22A a 1,28A.

A ideia era deixar a corrente circulando pelo regulador por uns 10 minutos e depois medir a temperatura do corpo do regulador, no caso, aquela parte de metal que é usada para fixar o semicondutor, com isso, vamos ver que o isolante usado no regulador que teve a menor temperatura, terá o melhor acoplamento térmico.

As figuras 2 e 3 mostram a diferença entre a temperatura dos dois reguladores usados nos testes.

fig. 2

fig. 3


- Conclusão

Depois de observar as figuras 2 e 3 podemos concluir que a mica tem um melhor acoplamento térmico, mas essa diferença é bem pouca, assim, quando for adotar o tipo de isolante térmico nas suas montagens, devemos levar em consideração outros fatores para poder selecionar entre os isolantes, acredito que na maioria dos casos pode sim ser usado o silglass sem problemas.

Em casos onde o semicondutor irá trabalhar em alta temperatura, 4 graus de diferença pode fazer a diferença entre um semicondutor funcionando ou danificado, nesses casos o melhor a adotar é a mica com a pasta.

É bom lembrar que a temperatura afeta as características de semicondutores de junção PN assim como o seu tempo de vida útil, por isso, na medida do possível, evite usar isolantes entre o semicondutor e o dissipador para favorecer a vida útil do semicondutor e melhorar o acoplamento térmico.


O link para o artigo em pdf pode ser baixado aqui e vídeo mostrando esse experimento pode ser visto abaixo:



sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Testando o TDA7056 retirado de sucata

Estava precisando de um CI amplificador de áudio para usar numa montagem e lembrei que tinha alguns TDA7056 que eu retirei de sucata de TV, como não consome muito e necessita de poucos componentes externos para funcionar - ver datasheet - eu decidi fazer uma jig de teste com um conector que tinha retirado da sucata para testar os CIs, na imagem a baixo é possível ver como ficou isso:



Bem fácil, o conector RCA é a entrada, os fios amarelo e vermelho são a saída, o verde é do potenciômetro de volume e o cinza e azul da alimentação.

O CI encaixa perfeitamente no conector e pode ser usado até na montagem.


Com isso eu pude separar os CIs que estavam com defeito de uma forma bem prática e fácil, segue a dica pra quem tem CIs com esse tipo de encapsulamento para testar.

Abaixo o vídeo completo testando os CIs.




segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Rádio Flórida Mod. 602

Estou procurando pelo esquema desse receptor, não consegui encontrar nenhuma informação a respeito desse rádio a não ser essa página, por isso venho aqui pedir a ajuda dos leitores do blog, se alguém souber de algum site que talvez possa encontrar ou alguém tiver o esquema e puder me enviar eu agradeço.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Carga ativa para baixa corrente - Circuito final

Depois de experimentar a modificação que fiz aqui na substituição do resistor R1 por um circuito de corrente constante usando o LM317 eu fiz mais algumas melhorias na intenção de melhorar a estabilidade dessa carga e aumentar a potência de trabalho para ter uma maior confiabilidade para trabalhar com correntes de até 10A em 12V(120W).

A princípio eu tinha feito um circuito de proteção contra inversão de polaridade usando relês, mas não funcionou muito bem, por isso acabei descartando esse circuito e confiando nos diodos de proteção que foram distribuídos pelo circuito, futuramente talvez eu volte a trabalhar em um circuito de proteção melhor, por enquanto vou usar a carga da forma como ficou.

O esquema final da carga pode ser visto na figura 1.


Fig. 1


Como pode ser visto no esquema, eu adicionei mais alguns componentes simples que pode ser facilmente achado no comércio ou na sucata, como eu tinha uma caixa com um grande dissipador que fica do lado de cima da caixa eu usei para deixar a carga ativa na bancada junto com outros equipamentos. Coloquei os bornes de ligação no painel e ainda sobrou um espaço para adicionar dois displays indicadores de tensão e corrente que pretendo colocar futuramente.

A placa eu fiz da mesma forma como na carga ativa para 20A, só que desta vez eu precisei cortar a placa para fixar os transistores de potência e o driver no dissipador, o resultado pode ser visto na figura 2.


 Fig. 2

Essa foto ficou um pouco desatualizada em relação ao trabalho final pois como eu tive uns problemas na montagem(ver vídeos no canal), eu acabei alterando um pouco, eu substitui a malha que ligava os dois negativos por um fio 10mm2 e coloquei o regulador LM317 numa ponte de terminais e soldei a ponte no espaço ao lado do transistor driver(lado direito na foto). Tive que fazer a substituição da malha para ligar o negativo do borne no outro lado da placa que ficou mais perto e assim usei um fio menor do que antes pois eu tinha feito a ligação do outro lado porque estava mais perto do relê usado no circuito de proteção.
   
A figura 3, 4 e 5 mostra o resultado final da montagem.

 Fig. 3

Fig. 4

Fig. 5


Informações adicionais sobre a montagem


O transistor driver pode ser usado qualquer transistor darlington equivalente desde que seja recalculado o circuito de corrente constante em função da máxima corrente de base(ver no datasheet), sempre use uma corrente menor que a informada no datasheet, no meu caso, com o resistor de 15 ohms a corrente ficou próximo dos 90mA. Nesse post eu mostro as informações sobre o circuito de corrente constante que foi usado na carga.

Da mesma forma como fiz anteriormente eu não isolei os dois TIP35 do dissipador, assim eu isolei o dissipador da caixa, o driver também deve ser isolado caso use o mesmo dissipador para os três transistores como fiz nessa montagem.

O consumo da carga ativa até 10A ficou em torno de 200mA, assim eu usei a mesma fonte interna que estava no circuito anterior com apenas um TIP35, para correntes maiores é preciso de uma corrente de pelo menos 1A. A fonte não necessita de tanta filtragem, qualquer circuito básico com o 7812 funciona bem, por isso acho desnecessário publicar o esquema da fonte. Usando um potenciômetro multivolta o ajuste fica bem mais preciso, considere essa opção.

O vídeo do teste final pode ser visto logo abaixo, no meu canal eu tenho os outros vídeos dessa montagem, para quem quiser baixar o esquema em pdf é só clicar aqui.




sábado, 10 de agosto de 2019

Electronic Technician [Parte 1]

Complementando o post com esquemas de rádio receptores comerciais que postei anteriormente, trago nessa postagem livros com esquemas de TVs antigas.

São livros do site American Radio History e por isso todos os links são diretos do arquivo pdf, só clicar e baixar, no total são treze livros que vou dividir em duas partes.




sábado, 3 de agosto de 2019

Antena ativa MiniWhip

Recentemente eu montei uma antena ativa miniwhip para um amigo fazer suas escutas e aproveitei para estudar melhor o funcionamento da antena e o funcionamento do circuito, a relação da placa captadora com o circuito e com o aterramento, com isso já pude tirar umas conclusões a respeito dessa antena.

Antena ativa miniwhip (desenvolvida por Roelof Bakker - pa0rdt)

Essa antena foi desenvolvida para ser usada na escuta de sinais na faixa de Ondas Longas, devido ao grande comprimento das antenas para essa faixa era necessário uma antena compacta, que trabalhasse em toda a faixa e que não captasse tanto ruído elétrico, dessa necessidade surgiu a miniwhip, o esquema original pode ser visto na figura 1.


Fig. 1


O circuito não é crítico, é constituído de dois estágios, o primeiro tem como elemento principal o J310 que é um FET de baixo ruído muito usado em circuito de RF, possui uma alta impedância na entrada para facilitar o acoplamento com o estágio anterior e alta sensibilidade para captar sinais muito fracos, esse estágio é responsável pelo ganho da antena, o segundo estágio que é composto pelo 2N5109 e componentes associados, possui alguma amplificação, mas a principal função dele é acoplar a impedância de saída do primeiro estágio
com o receptor.

A impedância de saída dessa antena é de 50 a 100 ohms, isso facilita bastante na montagem pois não fica escravo do cabo de 50 ohms, pode usar os cabos de 75 ohms de TVs que é mais barato e fácil de achar que o cabo de 50 ohms.
A sonda(probe) mostrada no esquema é constituído de um pedaço retangular de trilha de cobre feita na própria placa da antena, essa trilha é responsável pela captação do sinal de rádio e a variação da área desse pedaço tem influencia no ganho geral da antena.

A alimentação do circuito é feita através do cabo coaxial, mas é mais aconselhável o uso de cabos externos, como aqueles cabos usados em antena parabólica, o circuito para usar na alimentação da antena é mostrado na figura 2.

Fig. 2

Esse foi o esquema principal da antena, existem algumas variações que apareceram depois, mas todos eles tem o mesmo princípio de funcionamento que é a amplificação do sinal em função da diferença de capacitância entre a área cobreada que capta o sinal de rádio(probe) e o circuito amplificador.

Para entender melhor como isso funciona eu fiz um desenho que pode ser visto na figura 3. Para representar o sinal de rádio no ar eu usei um gerador de RF, esse sinal entra na placa captadora(probe) e é acoplado ao circuito direto no gate do J310, foi representado como dois capacitores porque essas duas partes da antena tem uma capacitância equivalente e a diferença na capacitância influencia no ganho da antena, assim diminuindo a capacitância da placa captadora(probe), tem um aumento no ganho da antena.

Fig. 3


Você pode aumentar ou diminuir a capacitância da placa captadora(probe) assim como pode aumentar ou diminuir a capacitância do circuito amplificador e com isso obter o máximo ganho. Para aumentar a capacitância da placa captadora(probe) é só aumentar a área dela ou ligar alguma antena externa como uma longwire por ex., para diminuir a capacitância basta reduzir a área de captação.
No caso do circuito amplificador, a capacitância dele é controlada pelo aterramento, sem aterramento se tem uma capacitância baixa e conforme é aterrado a capacitância aumenta, por isso a importância de um bom aterramento para se obter um alto ganho.

Montagem

A placa ficou com 10,5cm de comprimento por 3cm de largura, a placa captadora(probe) ficou com 4cm de comprimento por 3cm de largura, usei alguns resistores SMD para facilitar na redução da placa, na figura 4 você pode ver o resultado do desenho da placa que eu fiz a mão.

Fig. 4


E na figura 5 a antena já finalizada, como não tinha os transistores do esquema, eu usei equivalentes, o MPF102 para o FET de entrada e o 2N3866 para o transistor de acoplamento.

Fig. 5


Para fazer a ligação da entrada da antena à placa captadora(probe) eu usei um indutor que o autor recomenda para que a antena trabalhe até 30MHz, sem esse indutor ela só trabalha até 20MHz, o valor que usei é de 10uH e qualquer valor entre 5 a 10uH pode ser experimentado.
Nas figuras 6 e 7 mostra o power feed para fazer a alimentação, usei um capacitor de passagem para fazer a ligação da entrada de alimentação.

 Fig. 6
 
Fig. 7



Testes

-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Obs; Essa antena foi testada somente em ondas curtas, portanto os resultados da minha avaliação não devem ser considerados por aqueles que pretendem montar a antena para escutar ondas longas e médias
-----------------------------------------------------------------------------------------------------

Os primeiros testes que fiz foi com a antena bem próxima do chão e depois instalei no telhado de casa, não vi muita diferença no ganho de sinal, a diferença maior foi nos ruídos captados, no telhado a captação de ruído foi maior e mesmo com uma placa captadora pequena foi possível captar muito ruído. A princípio eu achava que a placa captadora era pequena por causa do alto ganho da antena, assim, com uma placa captadora pequena não pegava muito ruído, mas depois dos testes eu percebi que o ganho dessa antena não é alto, é menor que o ganho de uma longwire de 12m.

Confesso que fiquei muito decepcionado com essa antena, eu participei de grupos de radioescutas onde essa antena era exaltada a todo momento que era citada, por isso minha expectativa quanto a essa antena era grande, talvez por causa dos poucos testes que fiz com ela. A faixa de ganho dessa antena não é linear, nos testes eu puder perceber uma queda de ganho que inicia próximo de 6MHz e vai até uns 8MHz, percebi também que quando a frequência vai subindo, o ganho vai diminuindo, mas depois dos 8MHz, mesmo que o ganho esteja diminuindo, a diferença não é grande.

Depois de testar a antena no telhado eu baixei a antena para ligar uma longwire na placa captadora(probe) achando que a antena iria trabalhar como um simples amplificador de sinal, mas não foi o que aconteceu, o ganho diminuiu e o ruído aumentou. O próximo passo foi instalar um filtro passa alta na entrada da antena para ligar uma longwire, dessa forma eu desliguei a placa captadora(probe) que funcionou somente como uma blindagem, também substituí o indutor por um capacitor de 100pF, na figura 8 é possível ver como ficou essa ligação. A ideia era ligar uma longwire através de um parafuso por fora do tubo de pvc, mas isso não ficou muito bom e eu desaconselho essa ligação. Na figura 9 é possível ver a ligação da antena no parafuso, usei um cabo blindado para fazer essa ligação, mas não liguei o malha no lado do parafuso.

 Fig. 8

Fig. 9


Depois de ligar e testar eu resolvi blindar toda a antena para que não seja captado nenhum sinal pela placa, nas figuras 10 e 11 é possível ver como ficou a blindagem. Essa blindagem foi feita com tiras de cobre retirado de transformador de fonte chaveada, essas tiras ficam por fora do transformador.

Fig. 10

Fig. 11


Como essa antena amplifica em função da diferença de capacitância entre a placa captadora(probe) e o circuito, essa blindagem só deixou a antena com menor ganho, por isso acabei retirando a blindagem e deixando só uma pequena parte para fixar o conector do cabo.

Considerações Finais e Dicas

Não recomendo essa antena para a faixa de ondas curtas, obtive melhor desempenho com uma antena dipolo e uma dipolo dobrado sendo essa última indicada para quem tem bastante ruído na região.
Como essa antena amplifica o sinal em função da diferença de capacitância, a placa captadora(probe) deve ter uma menor área e a antena deve ter um bom aterramento, assim a capacitância do circuito será maior que a placa captadora e como consequência, um maior ganho.

Fiz uns vídeos mostrando as diferenças que citei nesse artigo, o link do meu canal para acessar os vídeos está no blog.

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Esquemas rádios portáteis transistorizados

Estou repostando esses livros para fazer uma modificação, como eu não queria fazer no post antigo porque tinha outras coisas juntas, resolvi refazer tudo para facilitar nas buscas por esquemas.

São seis livros com esquemas de receptores comerciais e suas respectivas listas de esquemas por fabricante e modelo, se alguém tiver a primeira parte e quiser contribuir é só entrar em contato com o e-mail que está no blog.

Esquemas rádios portáteis transistorizados Vol. 2


Fabricante Modelo
General 7GA-105
Holiday H-660
HT-881
Imperial NT-R8
National UB-160
NEC NT-82H
Sharp TR-203
Sony TR-714
Ten KT-200
Toshiba 6TR-127


Esquemas rádios portáteis transistorizados Vol.3


Fabricante Modelo
Carlton -
Crown TRK-600
National EB-180
Sanyo 6C-10
Sharp TR-175
Sony TR-63
Standard ST-3A
SRF-25
Victor TA-2750
TS-651


Esquemas rádios portáteis transistorizados Vol.4


Fabricante Modelo
Crown TR-76
Holiday TRP-82
National AB-100
EB-165
Sanyo 5C-14
Sharp TR-182
Standard SRG-204
SRF-211
Toshiba 6TR-188
Victor TS-600


Esquemas rádios portáteis transistorizados Vol.5

Download

Fabricante Modelo
Constant 6T-170
Crown TRP-6R
Hitachi TH-666R
Iwata TR-6A
National AB-321H
Sanyo Mercury 8S-P14
Sony TR-88
Spica 4 Transistor
Standard SR-G34
Toshiba 6TR-92


Esquemas rádios portáteis transistorizados Vol.6

Download

Fabricante Modelo
Crown TRF-1100
Continental TR-100
Hitachi TH-660
W-832X
Holiday TRP-58
Kowa KT-31
Linmark T-63
Maco AB-100
Realtone TR-555
Toshiba 7TR-203


Esquemas rádios portáteis transistorizados Vol.7

Download

Fabricante Modelo
Continental TR-215
Crown TR-820
Hitachi TH-667
TH-862R
Iwata TR-4A
Linmark T-60
Maco T-16
National T-55
Realtone Electra TR-801
Sony TR-610

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Electronics Circuit Designer's Casebook

Achei esses livros no site american history e resolvi compartilhar aqui para o caso de alguém não ter visto eles por lá.
São compilados de diversos esquemas interessantes e por mais que sejam um pouco antigos, é possível montar usando componentes equivalentes.

Os links são diretos de arquivos pdf, só clicar e baixar.








quarta-feira, 10 de julho de 2019

5000 Integrated Circuits Power Audio Amplifiers

Livro com 5000 esquemas de amplificadores usando CI, uma ótima fonte de referência pra quem costuma usar CIs nas etapas de áudio de suas montagens.



quarta-feira, 12 de junho de 2019

Válvulas - Datasheets e databooks

Eu tinha alguns datasheets e databooks de válvulas para serem organizados e postados no blog, ia fazer isso antes de sair do facebook porque tinha prometido a um amigo que iria disponibilizar esse material também em um grupo que participava, mas como eu sai do facebook acabei não compartilhando no grupo, mas quanto a isso eu avisei o fundador do grupo pois o mesmo tem um canal no youtube.

Agora eu quero deixar o aviso aos seguidores do blog, o link está na barra a direita, logo acima dos cursos, são mais de dois mil datasheets e algumas dezenas de databooks além desses que já postei no blog.

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Monte seu Laboratório de Eletrônica



Mais uma revista que eu até então estava colocando junto aos links de cursos. Pouco sei sobre ela, aparentemente é uma revista vendida na Espanha que foi traduzido para o português e editada pela editora F&G Editores SA. em meados dos anos 2000.

Se alguém tiver mais alguma informação a respeito dessa revista deixem um comentário.


01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
41 42 43 44 45 46 47 48 49 50
51 52 53 54 55 56 57 58 59 60

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Single Sideband for the Radio Amateur

Estou atualizando os links dos livros no blog e para isso estou organizando meus e-books, por isso estou achando alguns livros que eu deveria ter postado no blog e acabei esquecendo.

Nesse post eu trago mais três livros antigos da ARRL que eu achei na internet.

Alguns livros que postei no blog eu não estou conseguindo achar, sendo assim venho pedir aos leitores que me ajudem enviando os livros que perdi, a princípio eu não consegui achar os livros desses dois posts(post1 e post2) com exceção do Electronic Projects in the Workshop, se alguém baixou e puder me enviar pelo e-mail eu agradeço.

Se tiver mais algum livro que eu postei e não achei depois eu faço um post com os nomes dos livros.